Últimas Notícias

Atentado Fake | Aluno espalha falso atentado via Whatsapp e causa confusão em faculdade de Maringá


Um aluno Faculdade Uningá, espalhou mensagens com ameças em um grupo de Whatsapp, na manhã desta quarta-feira (8), assustou funcionários e alunos de uma instituição de Maringá. 

De acordo com a instituição de ensino, um estudante da própria faculdade foi o responsável pela confusão que gerou um princípio de “tumulto” no outros alunos. 


A Polícia Militar (PM) foi acionada para acompanhar a situação, quando a equipe chegou ao local, a situação estava controlada. 


As ameaças feita pelo aluno estão sendo investigada pela PM. 


Não houve pânico, segundo a instituição, mas foi necessário tomar medidas de precaução para evitar uma situação mais grave. A Polícia Militar foi chamada, mas, conforme a corporação, quando a equipe chegou ao local, a situação estava controlada. 


Confira a nota publicada pela Uningá nas rede social:

"Estamos apurando os fatos relativos a supostas mensagens que circularam por aplicativo de mensagens, que na manhã desta quarta-feira 08 de maio, causaram preocupação à comunidade acadêmica. Segundo o que foi apurado até o momento, não há motivos para preocupação, sendo que as atividades acadêmicas estão mantidas e serão realizadas regularmente. Afirmamos serem absolutamente inverídicas as noticias veiculadas pela imprensa e aplicativos de mensagens, sobre suposta ocorrência com arma de fogo no campus. De todo modo, estamos reforçando medidas para garantir a segurança de todos no campus da Instituição."

Comunicação Social do 4°BPM
"3°CRPM/4° BPM- NOTA DE ESCLARECIMENTO 

Em relação às informações que circulam nas redes sociais e também na imprensa, referente a um atentado em uma faculdade no município de Maringá, o 4°BPM esclarece que a Polícia Militar tomou conhecimento de tais boatos e adotou providências junto à instituição de ensino superior, a fim de esclarecer o que houve.

Conforme apurado, um dos alunos enviou mensagens sem coerência para o grupo de Whatsapp da sua sala de aula, as quais foram interpretadas equivocadamente como uma possível ameaça, bem como foram compartilhadas nas redes sociais, causando a propagação de uma informação falsa e consequentemente pânico infundado.

O aluno que havia enviado as mensagens, estava em casa junto com sua família.

A Polícia Militar esclarece que os boatos são improcedentes, de forma que não houve nenhum atentado em nenhuma instituição de ensino superior em Maringá."




Nenhum comentário