Últimas Notícias

Sílvio Barros está a um passo de ser candidato a prefeito de Maringá em 2020

Foto do perfil do ex-prefeito Sílvio Barros

O ex-prefeito de Maringá, Sílvio Magalhães Barros, está bem perto de concorrer a prefeito nas eleições de 2020.

Sílvio e outros ex-prefeitos de Maringá foram absolvidos pelo TRF4 em uma ação que pode ser considerada o divisor de águas entre ele e o próximo pleito eleitoral. 

A absolvição aconteceu no último dia 30 de abril, ou seja, a 14 dias trás e publicada no site do TRF no último dia 10/05/2019.

Sílvio vem publicando nas redes sociais, fotos do seu dia a dia. Com rosto alegre e fazendo selfies, o ex-prefeito circula pela Cidade Canção.





IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

TRF4 mantém absolvição de ex-prefeitos de Maringá (PR)

"O Tribunal Regional Federal da 4° Região (TRF4) manteve sentença de primeiro grau que absolveu três ex-prefeitos de Maringá (PR), três ex-secretários e dez servidores públicos da Prefeitura de Maringá (PR) da acusação de improbidade administrativa. 

A decisão da 3° Turma foi proferida em sessão realizada no dia 30 de abril.

A ação foi ajuizada em 2012 na Justiça Federal pelo Ministério Público do Paraná (MPF-PR). O autor alegou que durante as gestões de Silvio Barros (2005-2012) e Roberto Pupin (2013-2016) foram assinados contratos irregulares com as empresas CR Almeida Engenharia e Vega Engenharia para gerenciar e fiscalizar obras públicas que estavam sendo realizadas em vias ferroviárias do município. 

O MPF-PR alegou que não haveria justificativa para a contratação das empresas, já que a responsabilidade das demandas de trabalho nas obras seriam de engenheiros da própria prefeitura. O autor requereu que todos os réus fossem condenados por improbidade administrativa.
Após a 2° Vara Federal de Maringá julgar improcedente o pedido do MPF-PR, a autarquia apelou ao tribunal.

A Turma negou a apelação por unanimidade. A relatora do acórdão, desembargadora federal Vânia Hack de Almeida, afirmou que não foram comprovados nos autos indícios de conluio ou má-fé entre os agentes públicos para fraudar licitações ou obter vantagem pessoal. A magistrada também ressaltou que a análise técnica feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) afastou as alegações do MPF-PR de superfaturamento por parte dos réus.

“Embora configuradas algumas das irregularidades apontadas na inicial, como por exemplo, falhas na elaboração e execução do projeto da obra e regime de remuneração do contrato, estas configuram mera irregularidade administrativa, não dando ensejo às penalidades da lei de improbidade administrativa”, concluiu Vânia.

Foram absolvidos:
João Ivo Caleffi: ex-Prefeito de Maringá
Silvio Magalhães Barros: ex-Prefeito de Maringá
Carlos Roberto Pupin: ex-Vice-Prefeito de Maringá
Ronaldo Ramos: ex-Secretário de Desenvolvimento Urbano, Planejamento e Habitação de Maringá
Jurandir Guatassara Boeira: ex-Secretário de Desenvolvimento Urbano, Planejamento e Habitação de Maringá

Walter José Progiante: ex-Secretário de Desenvolvimento Urbano, Planejamento e Habitação de Maringá
Reinaldo Rodrigues de GodoyCelso Hiromitsu TanabeDécio Vicente Galdino Cardin, Flávio de Souza FregieriJorge Itaru AbeSigmar Otaviano Navachi e Tony Marcello Refundini: agentes públicos integrantes da Comissão de Licitação do Município
Rômulo do Carmo Ferreira Neto: Diretor de Infra-Estrutura Ferroviária do DNIT
José dos Passos Nogueira: Coordenador-Geral de Obras Ferroviárias do DNIT
Zilda Maria dos Santos Mello: Coordenadora-Geral de Obras Ferroviárias do DNIT"

50001514920124047003/TRF

Fonte: www.trf4.jus.br/trf4


Nenhum comentário